Notícias
Envelope de Luxo
Postado em: 24/03/2014 por Guido Denipotti
A nova "roupa de gala" que veste o Beira-Rio, esteticamente um dos mais impactantes estádios da Copa 2014, foi possível graças à utilização de estrutura de aço composta por 65 pórticos de aço em formato de folha.

Por pouco mais de um ano, o Grêmio de Porto Alegre esteve à frente do Internacional – seu eterno rival –, pelo menos no que refere à realização de jogos em um estádio mais moderno. Porém, até o início de março, o Colorado, como também é conhecido o Inter, deve estar com o Estádio Beira-Rio (ou José Pinheiro Borda) completamente liberado para a realização de jogos, e seus torcedores (e adversários) poderão conhecer as virtudes que sua modernização agregou ao conjunto esportivo, remodelação orientada pelo projeto de arquitetura do escritório Hype Studio.

Esteticamente um dos mais impactantes estádios da Copa 2014, o Beira-Rio poderá receber público de 51.300 pessoas. Ao contrário, porém, de parte dos estádios que serão utilizados no torneio, depois da competição, sua capacidade aumentará para até 56 mil lugares. Além da beleza, o clube investiu também na comodidade dos torcedores (em alguns lugares, a altura dos degraus da arquibancada aumentou de 60 cm para 90 cm) e também num moderno sistema de iluminação, dez vezes mais potente do que o anterior.

A intenção dos arquitetos e da direção do clube era que o estádio se transformasse num ícone arquitetônico da capital gaúcha. E foi o que aconteceu. A parte mais visível da notável reformulação é a cobertura das arquibancadas. E é neste item que o aço tem sua participação ainda mais efetiva, apesar de ter sido utilizado até nas fundações, executadas com estacas de aço. Para receber a cobertura, uma membrana autolimpante de PTFE (politetrafluoretileno), que alterna películas translúcidas e opacas, foi executada uma estrutura de aço composta por 65 pórticos de aço em formato de folha.

A estrutura de aço que sustenta cada uma das 65 folhas tem peso de 40 toneladas, com 38 m de altura por 53 m de largura.

A "roupa de gala" que veste o Beira-Rio estava presente no projeto do Hype Studio, mas os ajustes para torná-la mais adequada (e financeiramente exequível) couberam à Simon Engenharia, que elaborou o projeto estrutural, modificando parcialmente a ideia inicial de ter a envoltória independente da estrutura de concreto existente, em razão dos custos que a solução acarretaria. A nova solução representou, ao final, uma economia de cerca de R$ 30 milhões. A montagem da cobertura foi realizada pelo lado externo do estádio, uma vez que a construtora não poderia entrar com guindastes no campo. O aço usado na cobertura do Beira-Rio também terá maior durabilidade, pois passou por processo de galvanização, que confere proteção extra contra a corrosão.

Na solução adotada, a estrutura de concreto existente (que foi reforçada) absorve os esforços verticais e horizontais e os pilares externos (com fundação em estacas-raiz) ancoram os pórticos em forma de folha. A estrutura de aço é composta por 2.150 toneladas de tubos estruturais circulares sem costura, e está apoiada em dois pontos na linha externa e nos pórticos de concreto já existentes. De cada ponto sai uma mão-francesa com balanço de 42 m (até onde vai a cobertura). Na primeira etapa, as estruturas foram montadas no chão e erguidas por meio de dois guindastes, com capacidade para 100 e 250 toneladas. Num segundo momento, foram içadas as duas últimas partes, que cobriram as arquibancadas. A estrutura de aço de cada uma das 65 folhas tem peso de 40 toneladas, e 38 m de altura por 53 m de largura, e também sustentará os telões que exibirão detalhes dos jogos e os equipamentos de iluminação do campo de jogo.

Montados na estrutura de aço da cobertura, por meio de tirantes metálicos, estão também 55 skyboxes (camarotes), localizados acima da arquibancada superior do estádio. Para acomodá-los, foi necessário remover a antiga marquise de concreto, que cobria um terço da arquibancada superior. A estrutura foi serrada e retirada com guindastes, preservando-se 4 m que serviram de base para a ancoragem da nova estrutura de aço. (A.M.)


Ficha Técnica
Projeto arquitetônico: Hype Studio Arquitetura e Santini e Rocha Arquitetos (executivo)
Área construída: 108 mil m²; área da cobertura, 25 mil m²
Aço empregado: tubos estruturais sem costura
Volume de aço: estrutura da cobertura, 2.150 t; fundações (estacas de aço), 17.100 m; e estrutura de aço interna, 752 t
Projeto estrutural: Simon Engenharia
Fornecimento da estrutura de aço: Sulmeta
Execução da obra: Holding Beira Rio S.A. (Brio) - Construtora Andrade Gutierrez
Local: Porto Alegre, RS
Data do projeto: 2010;
Conclusão da obra: 2014.
Fonte: CBCA